Com salários defasados e abandono do poder público, trabalhadores da saúde ameaçam paralisação geral em todo o estado

Os diretores do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Acre (Sintesac), buscaram por respostas do secretário da Casa Civil, Flávio Pereira, na tarde desta quarta-feira, 04, referente ao pagamento do auxílio covid-19 do mês de dezembro de 2020, dobra da insalubridade, agenda para início da reformulação do Plano de Cargo, Carreira e Remuneração (PCCR) e sobre o Instituto de Gestão de Saúde do Acre (IGESAC), como resposta receberam um belo chá de cadeira.

Na segunda-feira desta semana, dia 01, foi realizada uma reunião com o secretário na Casa Civil, onde foram apresentados e debatidos os mesmos assuntos. A diretoria do Sintesac mostrou sua insatisfação com a falta de resposta e o desrespeito aos servidores em saúde. E durante o encontro o chefe da casa civil se comprometeu em resolver a situação até quinta-feira, ontem, 04 de março.

No encontro, também foi apresentado ao secretário, a real situação em que os trabalhadores em saúde estão vivendo em seus locais de trabalho: salário pífio, falta de condições de trabalho, exposição ocupacional, entre outros.

O presidente do Sintesac, Adailton Cruz, disse que foi deixado claro que tudo tem limite. “Nós vamos visitar cada unidade do interior, mobilizar todos os trabalhadores, ouvi-los, e nos organizar, infelizmente, não estão respeitando e muito menos valorizando os profissionais da saúde, ainda mais num momento crítico e grave como este”.

A diretoria do Sintesac, irá se reunir com todas as entidades sindicais na próxima segunda-feira, 08, onde serão discutidos os próximos passos a serem tomadas, entre elas, uma convocação com todos os trabalhadores em saúde, para uma possível paralisação geral no Estado do Acre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove + cinco =