Centro tem se tornado alvo de vandalismo e assalto

Comerciantes da área central de Rio Branco vem passado grandes apertos financeiros e prejuízos.

Com a presença constante do vírus da COVID-19, os comércios tem sofrido com a irregularidade de fechamento dos estabelecimentos, fazendo com que venham caindo a arrecadação pela ausência das vendas.

Aliado a problemática de poucas vendas, os comerciantes ainda tem que lidar com a falta de segurança, que fica ainda mais evidente aos finais de semana e feriados, pois bandidos e usuários de droga invadem prédios comercias e até públicos.

Na rua Rui Barbosa, rua da prefeitura da capital, bandidos já entraram na sede do Imac, na loja da Claro que fica ao lado do quartel da PM e lanchonetes da região, sem falar nas lojas mais abaixo.

“Não temos como contratar e manter uma segurança vigiada. Estamos próximos ao quartel da polícia militar e nem assim os bandidos se intimidam. O que mais notamos é um centro tomado por usuários de drogas e sem uma segurança no local para inibir. Eu não tenho mais condições de ficar em casa sem estar preocupado se está tudo bem. A pouca gasolina que me resta eu acabo gastando nas rondas que preciso fazer pra verificar se está tudo em ordem porque não tem policiamento”, lamentou o comerciante.

De acordo com as reclamações, essa não é a primeira vez, no ano passado a situação foi a mesma, mas ainda tinham condições de arcar com os prejuízos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 1 =