Falta transparência na Assembleia Legislativa

Não é de hoje que se busca informações no Portal de Transparência do site da Assembleia Legislativa do Estado do Acre (Aleac) e só se encontra dificuldades.

O Portal de Transparência deveria ser uma ferramenta de acesso fácil para todos os cidadãos que buscam informações a respeito dos valores arrecadados e gastos pelo parlamento estadual do Acre. Mas o que se encontra muito é burocracia, além de estar desatualizado há muito tempo.

No início do ano ainda era possível acessar alguns contratos com lançamentos parciais, onde se encontrava meses sequenciais e depois pulavam para meses seguintes, sem a devida continuidade, onde se encontravam os meses de janeiro, fevereiro, março e pulava para maio, agosto, setembro e os demais meses não se encontravam.

Realizando nova busca, não é possível ter acesso a nenhum dos contratos da Assembleia Legislativa. A reportagem buscou informações com a assessoria de comunicação da Casa do Povo, que nós informou que só segue as orientações do Ministério Público, conforme são repassadas ao poder legislativo.

Buscamos saber do Ministério Público do Acre, órgão fiscalizador do bens públicos a nível estadual por meio da assessoria de comunicação e também não obtivemos um retorno da promotoria responsável.

Perguntamos as pessoas sobre o que elas achavam da falta de transparência e de fiscalização e a resposta era sempre a mesma, uma vergonha.

“É uma vergonha a falta de fiscalização dos órgãos responsáveis em desenvolverem seus papeis e dos deputados em mais uma vez quererem dificultar a fiscalização popular. Se não tem acesso ao que é público, certamente algo de errado está acontecendo e quem paga por isso é a população”, disse o autônomo Mauricio.