Federação da Industria promove encontro moveleiro

O evento reuniu artesões, empresários, representantes públicos e autoridades locais. A abertura do evento foi na sede da FIEAC com uma amostra do mobiliário produzido por indústrias locais e a programação segue até esta sexta-feira, 15, com o objetivo de discutir e buscar melhorias para o segmento. 

Realizado pelo projeto Protagonismo Empresarial do Sebrae, em parceria com FIEAC e Sindicato da Indústria de Móveis do Estado do Acre (Sindmóveis) e com apoio do governo do Estado, o evento tem a finalidade de criar e organizar núcleos empresariais nos diversos setores das indústrias nos municípios do estado. O evento terá representantes de polos moveleiros de Cruzeiro do Sul, Feijó, Sena Madureira, Epitaciolândia, Brasileia, Xapuri e Rio Branco. 

“Este evento será um marco para o nosso setor. Acreditamos que conseguiremos avançar em muitas demandas importantes e iniciar o Planejamento Estratégico dos Moveleiros”, destaca Augusto Nepomucena, presidente do Sindmóveis.   

Para o presidente da FIEAC e do Conselho Deliberativo do Sebrae, José Adriano, é a partir do diálogo, sobretudo de quem vive no dia a dia os percalços da atividade, que é possível melhorar o ambiente de negócios e as condições de trabalho do segmento. “Por isso é essencial esse programa de Protagonismo Empresarial, que tem mostrado um caminho que podemos seguir para os avanços que necessitamos”, ressalta. 

Já o superintendente do Sebrae, Marcos Lameira, diz que o evento irá integrar os diversos núcleos industriais do ramo moveleiro, criando um ambiente de preparação para a elaboração de um planejamento estratégico voltado para o setor. “E essa será uma das principais entregas do programa Protagonismo Empresarial deste ano”, acrescenta. 

O governador Gladson Cameli se fez presente no evento, onde disse que o papel do governo é motivar e incentivar a comercialização.

“O poder público tem como papel fundamental a aquisição desse material como forma de valorizar o que é produzido aqui e que não deixa a desejar com o que é feito fora do Estado. Sem falar na economia que se tem com o transporte e a economia fica toda aqui. O governo busca incentivar e comercializar para outras regiões, de forma competitiva”, declarou Gladson.

Fonte: Fieac

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze − 5 =